Curiosidades sobre o Camboja

CAMBOJA, ANTIGA KAMPUCHEA

O nome de Kampuchea, atualmente Camboja, vem do nome do principado dos Kambujas, o qual extendeu-se até o Delta do Mekong nos séculos VI e VII.

 

 

Este lugar tem-se mostrado na última década como um exótico país tropical do sudeste asiático que começa a abrir-se ao turismo.

 

 

A sua maior atração constituem as lendárias Ruínas de Angkor, centro político e religioso do Império Jemer, lembrado como o período mais brilhante da história do Camboja. Enquanto a Europa construia as suas primeiras igrejas, a sociedade Jemer levantava no sudeste asiático esta impressionante mostra da criatividade humana.

 

 

O espetáculo arquitetônico e artístico, que oferece a mística “cidade perdida”, é comovedor. Algumas imagens ainda evocam a vida dos seus antepassados, a qual mistura-se com as cores da sua paiságem de lagos, rios, selvas e fauna tropical com a sua natureza úmida e verde que adorna, também, algum monge envolto na sua túnica de cor açafrão.

 

 

ALFÂNDEGA E DOCUMENTAÇÃO

Passaporte em regra, com uma validez mínima de 1 mês, é preciso visto que se obtém nas representações diplomáticas com certa dificuldade pelo que é aconselhável formar parte de um grupo turístico.

 

 

IDIOMA

O idioma oficial é o jemer. Também fala-se francês.

 

 

ELETRICIDADE

A corrente elétrica é de 230 volts a 60 Hz., unicamente na capital, no resto do país é de 110 volts a 50 Hz.

 

 

 

MOEDA E CÂMBIO

A moeda oficial é o Riel (KHR). Um KHR equivale a 100 sen. Notas de 5, 50, 100, 200, 500 e 1.000 rieis. Os cartões de crédito não são muito comuns. A entrada de divisas é ilimitada, embora leva-se um controle destas. Não pode-se sair do país com mais dinheiro do que com o qual entrou.

 

 

EMERGÊNCIA – SAÚDE – POLICIAMENTO

Não precisa de nenhuma vacina nem certificado médico para entrar no país. É recomendável a profilaxia anti malária, não beber água da torneira nem comer alimentos sem cozinhar. É aconselhável levar uma farmácia, bem preparada com analgésico, antiestamínicos, antidiarréicos, antibióticos, antisépticos, repelentes para insetos, loções calmantes contra ferradas ou alergias, tesouras, pinças, termômetro e seringas hipodêrmicas. É recomendável viajar com um seguro médico e de assistência. Para emergências médicas ou policiais aconselha-se pedir ajuda nas recepções dos hotéis ou no consulado ou embaixada mais próximos.

 

 

FOTOGRAFIA

Nem tudo pode-se fotografar no Camboja. Estão restringidos os lugares militares e aeroportos. Respeito ao material fotográfico é melhor ir provido dele, pois não é fácil de encontrar.

 

 

GORJETAS

Não costumam aceitar as gorjetas, embora o presente de pequenos objetos, como canetas, tabaco, etc. são aceitos e pode utilizá-los como agradecimento de algum serviço.

 

 

TAXAS E IMPOSTOS

Existe uma taxa de aeroporto, tanto para vôos nacionais como internacionais.

 

 

CLIMA

O clima no Camboja é geralmente quente e úmido durante todo o ano. A temperatura se mantém por volta dos 30o C durante o dia, e à noite cai para uma média de 20o C. Como na maioria dos países tropicais, as chuvas são fortes e rápidas, e o sol aparece em seguida. De junho à outubro, as monções do sudoeste causam fortes chuvas, que transbordam o Rio Mekong, fertilizando extensas regiões de planície.

 

 

As estações climáticas são três: a estação mais fresca acontece entre novembro e fevereiro, a mais quente acontece entre março e junho e a estação mais úmida é de junho à outubro. Qualquer época do ano é boa para visitar o Camboja, sendo que cada uma possui suas vantagens específicas.

 

 

ARTE E CULTURA

No relativo à arquitetura, a mostra arquitetônica mais bela e monumental do país data do período do Império Angkor, entre os séculos IX e XIV. Destacam sobre tudo, as estruturas de Angkor Wat, a “capital que é um templo” e Angkor Thom a “grande capital” (Wat quer dizer templo).

 

 

Em escultura as obras mais admiradas dos Jemeres repousam no Museu Nacional de Phnom Penh.

 

 

Em música destacam os cantos jemeres, que não têm variado muito desde o século XII, em que se entonavam para seduzir aos poderes invisíveis. No canto combinam-se poema e música de maneira que, por vezes a entonação da palavra pode chegar mais longe do que o sentido da mesma. Grande parte da música reserva-se à improvisação. Existe uma grande influência chinesa na música do Camboja, mas por sua vez encontram-se no país instrumentos, escalas e formas musicais pertencentes à antiga tradição hindu.

 

 

A dança clássica Cambojana, especialmente elegante, costuma ir acompanhada por uma orquestra ou narração de um coral, derivada das antigas danças de Angkor (o mesmo acontece com os bailes tai).

 

 

Fonte: www.portalsaofrancisco.com.br

Compartilhar:

Contato

Cadastre seu e-mail e receba promoções exclusivas!

Seu Telefone (obrigatório)