TITLE

DESCRIPTION

Dez motivos par ir às Ilhas Fiji antes de morrer

Indonésia, Grécia, Tailândia, Caribe, Zanzibar… Já vi muita praia bonita nessa vida. Mas as Ilhas Fiji estão em outro patamar do paraisômetro. Traduzindo no meu idioma exageradês, “soltei bolha de sabão pelos olhos”. Já fui menos cara de pau e sonhei mais baixo em termos de viagem.

 

 

No fundo, acho que pensava que as ilhas do Pacífico Sul não fossem para o meu bico e me resignava. Estar lá era um sonho sem muitas pretensões de concretização, até que um voo low cost e curtinho a partir da Austrália acabou com essa frescura. Eis os motivos pelos quais você pode deve correr para o abraço:

 

 

1. Fiji é lugar de gente feliz. Vou falar disso com calma em outro post, mas segundo uma pesquisa do WIN (Worldwide Independent Network of Market Research), 93% dos habitantes das Ilhas Fiji estão felizes ou muito felizes com as suas vidas. Como viajante, você notará o alto astral a cada “Bula” (a palavra que serve para oi, tchau, bem vindo e coisa e tal) e a cada sorriso. Aliás, não é que eles sorriem o tempo todo. Eles GARGALHAM o tempo todo.

 

 

2. Fiji é tudo o que você esperava. É MUITO lindo. Existem praias bonitas, existem praias MUITO bonitas e, no topo do olimpo praiano, estão as praias nível Fiji. E as ilhas ainda têm cachoeiras e florestas de sobra para quem curte um matinho. Isso sem falar em alguns dos melhores mergulhos do mundo…

 

 

 

3. Fiji fala inglês. Ex-colônia britânica, o país herdou o idioma como língua oficial, que convive em paz com o fijiano e o hindi (falado pela população indiana). A comunicação facilita imensamente o desenrolar da viagem e a aproximação com os locais.

 

4. Fiji é democrático. Hotel de US$ 10 mil por noite? Tem. Pousada de US$ 40 por noite? Tem também. Meio termo? Rola. Para quem vai de mochilão, o transporte até as ilhas, de barco e avião, acaba pesando um pouco no orçamento. Ainda assim, existe a opção de fazer parte dos trajetos de ferry.

 

 

5. Fiji é da paz. O país viveu um clima de agitação política e golpes de estado na década passada. Em 2014 foram celebradas eleições democráticas (das quais o mesmo ditador de antes saiu vitorioso… paciência) e, hoje em dia, o clima é de total tranquilidade.

 

 

 

 

6. Fiji não tem caos. Em outros paraísos tropicais em que estive, havia sempre que lidar com o lado B. Afinal de contas, as Indonésias e Filipinas da vida estão entre os países mais populosos do mundo, com altos índices de pobreza, conflitos religiosos e outras agruras da humanidade. Fiji tem apenas 800 mil habitantes que se repartem por 110 ilhas habitadas (e ainda restam mais de 200 virgens). Ou seja, há espaço sobrando. Tudo é muito caaaalmo, muito tranquiiiilo, muito leeento.

7. Fiji é um país seguro. Você até precisa tomar certo cuidado com a carteira nas cidades maiores, todas localizadas na ilha principal, Viti Levu. Mas isso é tudo o que você deve saber em termos de segurança. Há o risco de ciclones entre janeiro e março, mas eles são raros.

 

 

 

8. Fiji é um país de pessoas honestas. A não ser pela tiazinha que me enfiou a faca no preço de um abacaxi no mercado (suponho que ela esperasse que eu pechinchasse, mas achei ela tão fofa…), não me senti extorquida ou engabelada como turista em lugar nenhum. Nem pelos taxistas do aeroporto.

 

 

 

9. Fiji tem uma boa infraestrutura turística. Calejada do Sudeste Asiático, fiquei pasma com a organização do sistema de ônibus e barcos e com o fato de que tudo funciona direitinho. Não passei nenhum perrengue. Zero.

 

 

 

10. Fiji não tem miséria. Você verá vilarejos modestos, casas humildes e muita gente simples que vive bem com pouco. Mas não há crianças abandonadas, mendigos, favela, sujeira, esgoto a céu aberto, fome ou violência.

 

 

Fonte: https://viagemeturismo.abril.com.br/

Compartilhar:

Contato

Cadastre seu e-mail e receba promoções exclusivas!

Seu Telefone (obrigatório)