Locais Turísticos do Quênia

Quênia é um país de uma grande beleza cheio de lugares de interesse, das cidades mais importantes até suas preciosas costas, sem esquecer os parques naturais, os maiores atrativos do país.

 

 

Para descobrir o Quênia, temos dividido em 4 zonas. Iniciaremos o percurso por Nairobi e sues arredores, realizando algumas excursões da capital, para continuar para Mombasa e a Costa. Daqui viajaremos pelo Lago Vitória e ao Oeste para finalizar na Zona Norte ocidental e o Lago Turkanda.

 

 

NAIRÓBI E ARREDORES

A capital do Quênia, Nairobi, tem sofrido uma profunda transformação em muito pouco tempo. Hoje em dia é uma cidade moderna com um claro reflexo colonial que se percebe sobretudo em alguns edifícios que ainda se conservam.

 

 

O CENTRO DE A CIDADE

A cidade, que tem crescido sem nenhuma planificação prévia, tem forma de triângulo retângulo conformado pelo rio Nairobi, a Haile Selassie Avenue e a Uhuru Highway. No centro do triângulo encontram-se os centros oficiais, os melhores comércios, os cinemas, teatros, os hotéis de luxo, os lugares de lazer, etc.

 

 

O percurso começa habitualmente pela Avenida Kenyatta, uma impressionante avenida com seis vias para o tráfego e uma bonita alameda para os peatones.

 

 

Nela encontram-se a antiga Oficina do Comissionado Provincial de 1916, a Casa Nyayo, mostra do desenvolvimento da capital, a Oficina Central de Correios na que pode-se ver um contínuo movimento de pessoas, sendo um dos lugares mais barulhentos de Nairobi, o Áfricam Heritage, o grande comércio onde pode-se comprar os produtos típicos de todo o país e o Edifício ICEA, construido em 1982, com ascensores acristalados desde os que pode-se desfrutar de uma vista completa do centro da cidade.

 

 

Muito Perto, na Wabera Street, se levanta a Biblioteca MacMillan, edifício neo-clássico de 1928 cuja entrada está franqueada por dois leões de pedra.

 

 

O Edifício Grindley é o edifício de tijolo mais antigo da cidade (foi construido em 1923) e no Hotel New Stanley pode-se recriar o ambiente no que se preparavam os grandes safaris, enquanto se toma um Pimm’s Cup. Ao lado do Hotel encontra-se um dos lugares de reunião ao ar livre da cidade, o Thorm Tree Cafe, onde pode-se tomar um tentempié enquanto se contempla a acácia espinhosa que serve de anúncios na qual os amigos deixam mensagens.

 

 

De Wabera Street a Kimathi Street encontra-se o Hiltom Hotel construido em 1964. Em frente dele inicia-se a Avenida Moi, a outra grande artéria da capital junto à Kenyatta Avenue e em seguida distingue-se a coluna de pedra amarela dos Arquivos Nacionais, sede de um museu – galeria de arte. A outra galeria de arte da cidade que se deve visitar é a Galeria Watatu, na rua Standard, onde acostuma haver exposições temporais de artistas que mostram temas africanos.

 

 

Continuando pela Avenida Moi pode-se ver a Oficina Central do Ferrocarril de 1929 na que pode-se degustar uma excelente comida no restaurante situado no interior. Muito perto encontra-se o Museu do Ferrocarril onde pode-se ver artefatos tão curiosos como os “recoge rinocerontes”, artefato que se situava em frente das locomotoras para ir apartando os animais das vias.

 

 

Não muito longe, na Praça da cidade (City Square), se levantam os 33 andares do edifício mais alto de Nairobi e um dos mais importantes desta cidade, o Palácio Internacional de Conferências Queniana. Nesta construção se combina a arte africana tradicional, dizem que tem forma de cabana masai e os elementos mais modernos da arquitetura. Atualmente é a sede do KANY, partido político no poder, mas pode-se visitar sem problemas a menos que haja algum evento político de relevância. O mais destacado é a maravilhosa vista que se desfruta desde a plataforma situada no alto da torre desde onde pode-se ver toda a cidade, o Monte Quênia, e inclusive o Kilimanjaro.

 

 

Nesta zona há vários lugares de interesse como os Edifícios do Parlamento, o Mausoleu Kenyatta, que encontra-se fortemente custodiado, a Catedral da Sagrada Família, rodeada de jardins com um estreito campanário e eixo da igreja católica queniana, a Prefeitura de princípios de 1950 e o Parque Uhuru, aonde não é aconselhável acudir depois do entardecer.

 

 

Fonte: www.portalsaofrancisco.com.br

Compartilhar:

Contato

Cadastre seu e-mail e receba promoções exclusivas!

Seu Telefone (obrigatório)